Arquivos Mensais: Outubro 2010

Coisas que me fazem comichões

1. Ainda não tenho o cartão do cidadão e tenho uma enorme pena quando tiver um dia de perder o meu bilhete de identidade. Gosto muito do tamanho e do formato dele e vou adiar o máximo que puder a inevitabilidade de ter de aderir … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações #9

#1. Este fim-de-semana vou fazer algo diferente. Uma coisa radical: vou andar de balão, tal como no livro do Júlio Verne. Mas o mais radical de tudo – coisa que eu não vou de todo fazer – é saltar de pára-quedas lá do alto; … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações #8

#1. Hoje é dia de ir à Ana Freud. Durante a semana, penso em alguns assuntos impreteríveis que  gostaria de abordar na próxima sessão, mas quando entro na saleta e me sento no sofá – não me deito numa chaise long,  como bem gostaria! -, começo por falar … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações #7

#1. Ainda não saí do tema “Cogitações” e, por este andar, acreditando que os números são infinitos, o blogue pode muito bem ser formado por uma desfiada de cogitações sem fim. Se concebi este blogue como um espaço essencialmente dedicado àquilo que, para mim, é indizível … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações 6#

Se pensarmos bem, a maioria de nós leva uma vida que não passa de um longo bocejo, se não veja-se: todos os dias, invariavelmente, saímos da cama, tomamos banho (os que têm esse hábito), metemos alguma coisa no bucho e … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações #5

#1. Tenho a certeza que se não houvessem sanções graves para o homicídio, muita gente, onde eu me incluo, já teria morto alguém. Não digo assassinar de um modo horrendo, claro, mas sim de uma forma asséptica, tipo sabotar os … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Cogitações 4#

#1. Todos os dias lido profissionalmente com muita gente, mulheres jovens, maduras, umas bonitas, outras nem tanto. Algumas delas, deitam-me olhares concupiscentes, mas eu, infelizmente, dada a natureza das minhas funções, tenho de fingir que “no pasa nada”. É daqueles actos de contrição que bem … Continuar a ler

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário